Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Joana Cristina Pinto

Joana Cristina Pinto

15
Jun20

Reencarnação - 3 (Memórias de Vidas Passadas)

Joana Cristina Pinto

old-791756_1280.jpg

Hoje vou falar um pouco de memórias de vidas passadas e como se podem manifestar.

Tal como falei no 1º post (podem consultar AQUI) existem crianças que nascem com a memória da sua última vida passada, podendo mesmo descrever locais, profissões, relações que teve e mesmo a sua morte. Estas crianças tem que ser acompanhadas por especialistas, não no sentido que estão doentes, mas no sentido que terem ajuda a compreender que aquilo nada mais é que uma memória, que já não são aquela realidade nem devem responder aquela energia.

 

No entanto as memorias podem manifestar-se de diversas formas:

- Conhecimento intuitivo – sabemos, só porque sim, que noutra vida fomos x ou y, sem qualquer terapia ou outro conhecimento. Muitas vezes este conhecimento traduz-se num gosto enorme de uma certa época ou estilo. Ou mesmo sentirmos uma enorme atracção por um local onde nunca fomos. É algo que sabemos mas não conseguimos explicar;

 

- Sonhos – Suponho que esta seja a mais comum, pois ao sonharmos entrarmos no nosso inconsciente e podemos de forma natural aceder a estas memórias, e o que nos parece ser um sonho estranho pode ser uma memória de vidas passadas que deve ser analisada e libertada; os sonhos recorrentes podem, igualmente, ser memórias passadas que necessitam de ser libertadas, através da análise e compreensão (os sonhos podem ser sempre iguais, ou podem mudar, mas a mensagem / cenário / situação é sempre a mesma mas recriada de formas diferentes);

 

- Deja vu – todos já tivemos a sensação que já ter estado naquele sítio, apesar de ser a 1º vez que ali estamos. A sensação de já conhecermos uma pessoa a anos apesar de só termos trocado um olá. Isto nada mais é que um reconhecimento de algo ou alguém de vidas passadas. É a mesma situação de quando embirramos com alguém, não é por mau feitio, mas temos intuitivamente a memória de que aquela pessoa, em vidas passadas, nos fez mal (o que não quer dizer que neste vá fazer o mesmo);

 

- Dons – todos temos dons naturais, seja para cozinhar, cantar, escrever, tocar, desenhar, cuidar de animais, falar.. Estes dons são características que dominamos em vidas passadas. E nesta vida, com nenhum ou pouco esforço, conseguimos dominar; estes dons podem ser, igualmente, indicação da nossa missão de vida;

 

- Fobias e medos – um medo irracional, de água, animais, alturas, nada mais é que uma memória traumática que trazemos de outra vida. Muitas vezes essas memórias estão ligadas a mortes. Por exemplo, se morremos afogados podemos ter um medo irracional e profundo de nadar ou só o “pôr o pé na agua” é algo difícil. A memória fica “gravada” no nosso campo energético. Isto é possível de ser dissolvido com a consciencialização que dê isso nada mais é que uma memoria e não algo que nos esteja a ameaçar no momento.

 

- Flashs e visões – muitos de nós em meditações, ou mesmo do dia a dia, já experimentamos visões, e estas podem ser “cenas” de vidas passadas. Devemos procurar essas mesmas memórias de forma a vivenciá-las e libertá-las, pois assim deixam de acontecer, um pouco como os sonhos recorrentes.

 

- Sinais / marcas de nascença – muitos sinais e marcas de nascença são recordações físicas de um ferimento (podendo ter sido mortal ou não) de uma outra vida. Quando a nossa alma está muito presa ao mundo físico, tendemos a encarnar muito mais rápido, pois não há grande consciência da parte espiritual, e se morremos de um ferimento na cabeça, é muito provável que nasçamos com a marca desse mesmo ferimento. Isto não traz qualquer problema a nossa saúde é simplesmente uma recordação.

 

Textos:

Joana Cristina Pinto

09
Jun20

Mensagem Canalizada - Amor 2

Joana Cristina Pinto

balloon-1046658_1920.jpg

As almas gémeas (twinflames) podem acabar?

Não.

 

As almas companheiras (soulmates) podem acabar?

Não.

 

As almas companheiras podem se criar?

Sim. A qualquer momento podem se juntar duas, ou mais almas, e criar aquilo que vocês chamam de almas companheiras (soulmates). Estas soulmates nada mais são que duas almas que viveram o amor uma com a outra (seja de que modo for – romântico, fraternal, …). E a qualquer momento, preferencialmente de forma consciente, podem no fazer. Aliás, o objectivo é esse criar em todas as almas uma soulmate. Estão aí a aprender o amor e só o vivendo conseguiram aprender.

 

Ter em todas as almas uma alma companheira? Mas são tantas pessoas….

Por que achas que encarnam a tanto tempo? Muito mais daquele que vocês são capazes de contar. Percebes agora que não há limitação? Nem no amor. O teu objectivo é amares os outros e a ti (soulmates + twinflame) Olha o potencial!

A questão que te deves colocar é o porquê de criarem tanta limitação? Por que se limitam a amar um de cada vez (um em cada vida – o grande amor) e logo depois suprimem todos os sentimentos belos que existem por outras almas. Não faz sentido.

 

Estamos moldados a isso…

Pois estão. E continuam a se permitir moldar a isso, alimentando sentimentos de medo, ciúme e apego. Mesmo quando vos juntamos a vossa alma gémea vocês se limitam, fecham-se numa dinâmica e esquecem que todos os outros também são merecedores de amor. Por isso é raro se juntarem pois ainda não entendem o verdadeiro sentido do amor. Podem se amar e ainda assim amar outras pessoas.

O amor não esgota. Não se divide nem acaba.

O amor não se limita.

O amor cria.

O amor multiplica.

O amor abre.

O amor permite.

O amor é.

 

O molde foi criado por vocês e somente vocês o podem quebrar.

 

Joana Cristina Pinto

 

08
Jun20

Relatório Energético - 8 de Junho 2020

Joana Cristina Pinto

relatorio 8 junho.jpg

Acredito que nos próximos dias vamos estar com grande foco nas energias de vidas passadas. Não que tenha de reviver de novo, mas antes, terá que aprender o que essa energia, desesperadamente, o quer ensinar e terá que libertar. Tem que desapegar daquilo a que tanto se agarra com medo.

Não precisa disso para se cumprir – amor, pessoa, casa, trabalho, …

Só precisa se cumprir.

 

Está a ser pedida uma nova forma de ver as coisas. Seja do criador seja das regras que achamos que são as correctas.

 

Quem disse que essa era a melhor forma?

Que criou as regras?

Por que razão temos que as cumprir?

 

Uma nova visão é necessária.

Olhem para o mundo: as regras que temos seguido estão a funcionar?

São precisas novas forma de ver e pensar o mundo e a vida.

 

Não fique a espera que alguém as dite. Abrande o ritmo, acalme a mente e ouça a sua alma. Ela sabe o que fazer para se cumprir. É certo que aquilo que ela tem que dizer irá contra tudo aquilo que (a sua mente) acha que tem que ser e viver. Mas aqui tem que confiar cegamente.

 

Esteja receptivo a novas possibilidades. Abra o coração e deixe tudo ir. Dê as mãos ao medo e faça dele o seu companheiro de viagem e vai ver que ele se tornará mais fácil de carregar.

 

É preciso ir buscar as coisas a fontes diferentes. É isto que me dizem e é esta a mensagem que prevalece já a uns tempos.  

Por que nos regemos por aquilo que meia dúzia de homens escreveram a mais de 2000 anos?

Fará sentido?

 

 

Que energias, de vidas passadas, precisa libertar:

  • Energias paternas – ligadas ao pai e ao masculino;
  • Sabedoria – aquilo que sabe ou aquilo que lhe foi imposto como sendo verdade;
  • Lições e bênçãos - aquilo que sabe ou aquilo que lhe foi imposto como sendo verdade;

 

O que precisa ser trabalho de vidas passadas:

  • Prisão – sentimento de limitação e de escassez;
  • Anjos – conexão com o divino;
  • Cavaleiro – as lutas que travou e trava que não são suas e nem são reais;

 

O que precisa prevalecer são as aprendizagens da alma e não as regras impostas.

 

Joana Cristina Pinto

04
Jun20

Mensagem Canalizada - Amor

Joana Cristina Pinto

heart-3085515_1280.jpg

- Podemos conversar?

Sempre.


- Temos que sofrer para evoluir?
Não.

- A jornada para a alma gémea / amor tem que ser uma de sofrimento, cedência e ...
Não.

- O amor doí?
Não.

- Então porque continuamos condicionados desta forma?
Valorizam o sofrimento. Ainda não perceberam que não precisam de sofrer para evoluir. Não teem que sofrer para evoluir e o caminho da ascensão e da iluminação, como vocês tanto gostam de lhes chamar, pode ser feito em serenidade. Claro que o sofrimento faz parte da vossa condição humana, mas uma coisa não implica a outra.

- Como saimos desta crença?
Fala sofre isso, reve as crencas e descontroias. Nós estamos aqui para te auxiliar no processo, mas lembra-te que todos nós temos caminhos diferentes. E apesar de não terem que sofrer alguns escolherão esse caminho. Esta é uma nova forma de ver as coisas - não será assim tão nova quanto isso pois á milhares de anos que o relembramos, mas voces são teimosos. Fala tu agora. Expõe esta verdade e nao tenhas medo de sentir.
Lembra-te: Vocês podem se amar sem estar envolvidos romanticamente.


O grande problema é  que continuam condicionados pelas experiências das vossas vidas passadas e acham que essa é a verdade. Ma não é,  as vidas passadas foram uma realidade que aconteceu, mas que não tem que voltar a acontecer, é esse o sair da roda. Fiquem em paz com aquilo que viveram e sentiram e deixem os outros ser livres e sejam livres. Deixem as partes de vocês mesmo ser livres.

***

Isto é tao forte: deixem as partes de vocês serem livres.

***

É preciso que novas crenças renascam. É preciso uma nova forma de pensar e de ver o mundo. Saiam da mentalidade de divisão e vê que tudo é uno e total. Só existe isso, tudo.

Fica em paz.
 

 Joana Cristina Pinto
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Em destaque no SAPO Blogs
    pub