Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Joana Cristina Pinto

Joana Cristina Pinto

30
Nov20

Mensagem do Mês - Dezembro 2020

Joana Cristina Pinto

dez.jpg

Temas importantes para o mês:

 

O CRIADOR

A mensagem aqui é clara é preciso crescer.

O que tenho sentido é que com a situação do vírus e todos os constrangimentos que foram impostos a maioria das pessoas colocou a sua vida em pausa – não procurando se melhorar ou aprimorar (ou mesmo viver a sua vida). A energia está a estagnar por isso mesmo, porque as pessoas não se sentem capazes e limitadas (ou mesmo no direito?) de viver a sua vida como querem.

E o espirito diz que isso não pode ser assim.

Pode continuar a viver mesmo com as limitações externas. O ser humano não foi criado para estar fechado em casa a absorver o lixo que é divulgado pela tv.

 

A alma não existe para ficar estagnada.

Ela quer movimento.

Ela quer energia.

Ela quer sol.

Ela quer lua.

Ela quer trovão e chuva.

Ela quer vento.

Ela quer calmaria.

A alma quer liberdade.

E esta liberdade vem do crescimento e sabedoria.

 

O criador também é sombra. A integração de tudo é a integração da luz com a sombra.

Cuidado com os ensinamentos espirituais que somente ensinam que tem que ser somente luz.

Não tem.

Tem que ser luz e sombra.

Tem que olhar para tudo com a mesma dedicação e amor.

 

Cuidado com os processos de negação das sombras e negatividade. Aceitem-nas. Aceitem tudo. Também são elas que o fazem único e merecedor.

 

*************

 

SOLIDÃO

Tem que aprender a estar sozinho. A sua missão de vida não é casar ou estar numa relação. A sua missão até pode ser não viver isso.

 

É preciso trabalhar a dependência do outro como único factor de felicidade ou de concretização.

É preciso deixar de olhar para o outro(s) como propriedade.

É preciso repensar as relações.

É preciso repensar os afectos.

É preciso perceber que não é nas relações que se é feliz.

 

Estas podem ser um factor de felicidade. Mas se sozinho não estiver feliz, NUNCA, mas nunca será feliz numa relação.

Já pensou o quão injusto é colocar nos ombros de uma pessoa a responsabilidade da sua felicidade?

 

O ego é lixado, não é?

 

Tem que aprender a estar sozinho.

Tem que aprender a ser feliz sozinho.

Tem que aprender que estar sozinho é tudo o que precisa.

 

Ah, e amor não existe só nas relações.

 

*************

 

POSSIBILIDADES

Quantas são as possibilidades para a sua vida?

Quantas são as possibilidades de ser feliz?

Quantos são os caminhos e as soluções?

 

São infinitas.

 

Se não as consegue ver é porque esta a ver com a mente e o ego. Precisa de começar a ver com a alma.

 

Deixe a sua realidade se transformar. Não force nada nem tente manipular ou controlar o que quer que seja. Deixe que a vida se desenrole diante de si da forma como tem que se desenrolar. Somente observe e aprenda.

 

Permita-se acreditar naquilo que não vê.

 

*************

 

INTROSPECÇÃO

Acho que todos os temas vêem dar a este.

É preciso meditar.

É preciso olhar para dentro,

É preciso aceitar.

É preciso questionar.

É preciso fluir.

É preciso observar.

 

Tudo aquilo que precisam está dentro. Parece um cliché mas é isto mesmo.

Seja amor, realização, solução para problemas, força, energia, …. , tudo isso encontra-se na sua alma. Pois tudo já foi vivido e experienciado. Basta somente ficar e ir a fonte buscar.

 

Medite.

Na dúvida medite,

Está triste? medite.

Está feliz? Medite.

Dói? Fique.

 

Joana Cristina Pinto

10
Nov20

2021 - A minha leitura do ano

Joana Cristina Pinto

2021.jpg

Energia do ano

5

O Papa

 

Energia secundária

2

O Julgamento

A Sacerdotisa

 

Co-regência do ano

3

O Mundo

A Imperatriz

 

2021 vai ser um ano de mudanças profundas principalmente a nível emocional e relacional. É tempo de repensar os afectos e a forma como vivemos aquilo que sentimos.

 

Vive as relações como quer ou limita-se a imitar aquilo que viu a sua família fazer?

A forma como vive os afectos fazem sentido para si?

As suas relações são satisfatórias?

É altura de ter coragem e responder a estas perguntas de forma crua e verdadeira.

Depois do ano de vivemos, e que trouxe todas as limitações que sabemos e ainda vivemos, é essencial que aprendamos a viver as emoções de forma diferente.

 

É preciso aprender a amar.

É preciso aprender a demonstrar amor.

É preciso aprender o que significa amor para si.

É preciso aprender o que significa amor para os outros.

É preciso aceitar a linguagem de amor dos outros.

É preciso aprender a demonstrar empatia.

É preciso aprender a olhar para o outro.

É preciso aprender a fazer algo pelo outro.

É preciso aprender a aceitar os outros como são e as suas escolhas.

 

Se em 2020 não aprendeu a olhar para o outro com a mesma doçura que olha para si 2021 vai obrigá-lo a abrir os olhos. E se não olha para si com doçura, amor, compreensão e total devoção algo está mal. Tem que começar por ai.

 

Será um ano onde as emoções tendem a estar ao rubro pelo que deve cuidar da sua saúde mental e emocional. Todo o tipo de desequilíbrios neste campo tendem a ficar evidenciados.

 

Será igualmente um ano onde pode fazer grandes e profundas mudanças na sua vida (e que tal finalmente se alinhar com aquilo que quer e aquilo que é a sua missão de vida?) pois momentos de grande inspiração, crescimento e abundância são de esperar.

Mas cuidado que inspiração sem acção de nada vale! Conte com muito trabalho e necessidade de muito empenho e dedicação em todas as áreas da sua vida. Nada virá de forma fácil ou grátis.

 

O que está disposto a dar (perder) para aquilo receber (ganhar) que quer?

 

Este é um ano que pede grande abertura do chakra da garganta e onde a comunicação deve ser trabalhada de forma construtiva e positiva. Fechar-se, retrair-se e não comunicar (ou mesmo fazer) não vai resolver nada, muito pelo contrário ainda lhe vai trazer mais problemas e bloqueios.

Nota: o tempo de viver é agora. A pandemia de pouco interessa quando o tempo passa e a vida se esgota! Para a semana tem menos 7 dias para viver... 

 

Se tem problemas na sua comunicação procure ajuda profissional.

Poderá ser chamado várias vezes durante o ano a expressar as suas emoções e necessidades, claro que o livre arbítrio irá sempre imperar e pode sempre se negar a fazer, mas a vida será mais meiga consigo se o fizer.

 

Não se engane, é tempo de crescimento e aprendizagem e se não fizer por aprender não vai crescer.

 

Comunicar não é dizer tudo o pensa de forma bruta ou sem pensar no outro e nos seus sentimentos – empatia e sensibilidade continuam a reger este ano. Ser frontal não é a mesma coisa que ter boas capacidades de comunicação, muitas vezes é só ser mal-educado e mal-formado. Aprenda a diferença e seja essa mesma diferença.

 

Aliás, empatia e sensibilidade vão reger esta década. Portanto quanto mais cedo aprender a lidar com essas energias mais rápido se livra destes pesos e constrangimentos.

 

Inove, crie e rompa com as velhas formas de fazer.

Isto incluí relações, trabalho, amor, religião, espiritualidade, ...

 

Acordar (espiritualmente) dói, eu sei, e ver a realidade ainda mais. Mas tenha a certeza que é aí que pode fazer as mudanças e não nas rezas, velas e rituais.

 

*************

 

Nos primeiros 4 meses conte com o recibo de tudo aquilo que fez. É tempo de prestar contas com a vida. Não espere grandes facilidades mas também não espere bloqueios.

Responsabilidade é necessária. Tudo o que correu menos bem ou onde foi menos positivo tenderá a voltar para si e criar-lhe algumas limitações. Não fuja nem tenha medo, encare de frente, reconheça os seus erros, aprenda e faça diferente. Simples.

Não compliquem o que é simples.

 

Estes meses tenderão a ser mais densos, pelo que deve cuidar muito bem da sua energia e daquilo que são os seus projectos. Lembre-se o que ninguém sabe ninguém estraga.

Deixe que o seu chakra do coração se abra e aceite a dor, a limitação, os constrangimentos, a perda, a falta, o medo.. aceite tudo. 

Aceite mas não se fique. Aceite, reconheça e aprenda mas logo a seguir limpe a casa.

Chore o que for preciso. É tempo de fechar ciclos do passado.

 

De Maio a Agosto a energia torna-se mais dura e vai pedir mais trabalho e dedicação. Diria mesmo que é a oportunidade de limpar a casa de todas as asneiras feitas anteriormente.

Atenção que a energia por si só não é má, simplesmente pede dedicação e trabalho. Não deve ter medo ou receio de fazer mudanças profundas na sua vida. É tempo de mudar a séria! Não faltará ajuda e orientação nestes meses a quem se predispuser a fazer o trabalho mas lembre-se que o trabalho tem que ser seu.

Se o fizer terá.

 

Repita as vezes necessárias:

Quando eu faço tenho.

Quando me dedico a mim floresço.

Somente eu tenho o poder de comandar a minha vida.

Eu Sou verdadeira(o), capaz e completa(o).

Eu amo-me e respeito-me.

Eu Sou a personificação da minha essência. 

 

Dedique-se a si, aos seus sonhos e desejos. Mas não se esqueça dos outros.

 

Nos últimos 4 meses do ano a energia tenderá a serenar, quase como em rescaldo de tudo o que foi vivido nos últimos meses.

Com isto não quero dizer que a energia vai estagnar ou mesmo nada vai acontecer. Não! Muito pelo contrário, grandes mudanças e inspirações podem ocorrer. Mas é tempo de se conectar com a fonte e com aquilo que é a sua essência.

 

Poderá sentir que nada faz sentido e que perdeu o pé ou caminho (e isto é especialmente válido para todas aquelas pessoas que se negam a crescer ou entram em resistência aquilo que é a vida). Se assim for, pare, respire fundo, enraíze e olhe a volta. Procure conhecer onde está e o que se está a passar. Depois mexa-se. Se não pode mudar aceite.

 

Lembre-se: não complique o que é simples e mexa-se.

 

É tempo de recuperar a fé e a confiança na vida.

Quando se resiste as mudanças é isso que acontece – a vida vem serena e maldosa e tira o tapete, pois pode ser que com a dor de bater com a cara no chão acorde e cumpra aquilo que é a sua vida.

 

O que é a vida para si?

O que é viver?

Para qual razão nasceu?

Qual o seu papel?

 

Aprenda de uma vez por todas e aceite que tudo é mutável e nada está seguro ou garantido. E está tudo bem assim.

O caminho não é a luta com a vida mas sim o fluir com ela. É o aceitar o que ela traz e usar isso em seu proveito.

 

*************

 

Este é (mais) um ano de aprendizado.

De dor e sofrimento.

De crescimento e celebração.

É preciso aceitar e reconhecer as feridas.

É preciso curar as feridas.

É preciso curar as feridas.

É preciso curar as feridas.

É preciso curar as feridas.

É preciso curar as feridas.

Este é um ano de grande potencial se tiver a coragem de o agarrar e seguir pelo caminho mais difícil – o da verdade e cura.

 

Sei que a maioria não o fará e mais uma vez irá se ficar a queixar do quão coitadinho e vitima é. Ficarão inertes na sua incapacidade, ou mesmo falta de vontade, de ver aquilo que é a verdade.

Não faça parte do rebanho e saia da carneirada.

É tempo.

 

Aqui, fora do rebanho, ainda somos poucos mas somos bons.

Valemos a pena.

Temos muito conhecimento para partilhar.

Eu estou aqui com essa missão – de traduzir o que é o caminho.

 

Joana Cristina Pinto

09
Nov20

MEDO

Joana Cristina Pinto

love-2055960_1280.jpg

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo das consultas adiadas.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo das consultas de oncologia pelo telefone.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo do descuido para com sintomas de dor.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo das biopsias urgentes que demoram 2 meses.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo das consultas de diagnóstico que demoram 1 mês.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo das celulas tumoriais que crescem descontroladamente.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo quando dizem "se tiver dor vá a urgencia".

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo do silêncio dos médicos.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo das doenças que ficam por diagnosticar.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo ao ver as pessoas incapazes de lidar com os seus afectos a distância.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo do afastamento emocional quando o pedido é o fastamento físico.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo da falta de empatia que as pessoas vivem.

Enquanto uns têm medo do vírus eu tenho medo da limitação eu nome de algo que não compreendo.

Sim EU TENHO MEDO, eu tenho muito medo.

Não o nego, não o reprimo. Deixo-o viver descontroladamente na minha mente e coração. Deixo que ele faça o que tem que fazer. Até que um dia esgota-se, fica fraquinho e de nada vale e nada causa.

 

Não tenham medo do vosso medo.

Honrem-no ele está ai para alguma coisa.

Deixem-no cumprir o seu propósito, mas não se deixem paralisar por ele. Mexam-se com ele. 

Joana Cristina Pinto

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Em destaque no SAPO Blogs
    pub