Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Joana Cristina Pinto

Joana Cristina Pinto

28
Dez20

O meu 2020

Joana Cristina Pinto

new-years-day-4720215_1920.jpg

Como vem sendo hábito todos os anos faço uma análise do meu ano. E verdade seja dita eu tenho andado a adiar a escrita deste texto, pois não quero revisitar o meu 2020.

Este ano tem sido demasiado cruel para eu o por aqui, mas por outro lado esta é uma bela forma de uma exorcizar tudo aquilo que tenho sentido e que vivi neste ano.

 

Nota: Não esperem flores e positividade quando eu sou só dor.

Eu não sou fã da positividade forçada a qualquer custo, mas isso é uma conversa para depois. Para 2021.

Não quer ler sobre dor, sombras e sofrimento este texto não é para si.

 

Este ano cresci como nunca.

Este ano quebrou-me.

Este ano deu-me esperança.

Este ano eu acreditei.

Este ano tirou-me o tapete.

Este ano mostrou-me quem está do meu lado.

Este ano permitiu-me ver quem me ampara as quedas.

Este ano trouxe ao de cima os meus maiores medos.

Este ano obrigou-me a encarar com a realidade mais feia e cruel.

Este ano falhou-me.

Este ano fez-me perder.

Este ano fez-me dar passos atrás.

Este ano eu falhei.

Mas este mesmo ano mostrou-me um novo caminho.

 

Eu percebi que mesmo na maior da escuridão é possível caminhar.

Eu percebi que mesmo na maior das dores é possível rir.

Eu percebi que mesmo nos maiores constrangimentos é possível fazer.

 

E isto não é escrito á luz da espiritualidade simplista que devemos ser sempre amor, luz, positividade e pós de perlimpimpim.

Eu sou dor e sombra.

É lá que eu vivo e é lá que eu me faço.

Tudo isto é escrito em lágrimas e com o peito pesado de medos e inseguranças, pois eu aprendi e não os negar.

 

*************

 

Nos últimos dias tem-me vindo muito a cabeça uma pergunta: quem tu queres ser?

E a letra desta música resume muito a minha resposta: “if you lost your way i will leave a light on” (se tu perderes o teu caminho eu deixaria a luz ligada) – Tom Walker em “Leave a light on”.

 

E é tão isto. Mesmo eu sendo dor eu serei sempre um ponto de luz para todos vocês.

Acho que esse foi um dos grandes ensinamentos de 2020, mesmo em dor profunda eu consigo mostrar o caminho e consigo ver além. Eu posso ser dor mas ela não me define pois eu consigo me dissociar daquilo que sinto e me manter naquilo que Sou.

E Eu Sou Luz.

Eu Sou uma tradutora.

Eu Sou uma leitora de energia.

Eu Sou Joana Cristina Pinto.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Em destaque no SAPO Blogs
    pub