Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Joana Cristina Pinto

Joana Cristina Pinto

14
Mai20

Acordos de Alma

Joana Cristina Pinto

theravada-buddhism-1788675_1280.jpg

Hoje trago um tema um pouco complexo mas que acho pertinente. Mas antes quero deixar claro que o que vão ler sai inteiramente da minha vida e da minha experiência. Aliás, tudo o que vos transmito nada mais é que a minha visão sobre a vida e sobre a espiritualidade e energia. Sim vou beber a muitas fontes, mas no final, depois de toda a filtragem, somente vêm aquilo que faz sentido comigo e com a minha vida e com aquilo que vivo e experiencio. De outra forma não faz sentido.

 

Acordos espirituais ou acordos de Alma - acordos feitos antes de encarnar que visam a ajuda, ou não, na matéria.

De uma forma simples, são acordos, tratos, entre almas, antes da encarnação que visam fuma interacção, podendo ser positiva ou não. Estes acordos podem ser feitos por amor entre almas ou por paga ou necessidade de fazer algo por uma determinada alma devido ao comportamento, menos positivo, numa vida.

Atenção que isto é diferente de carma ou darma. Isto são acordos entre almas. Feitos aquando da descida para a encarnação. É uma escolha da Alma fazer isto, podendo ou não, ser benéfico para si quando estiver encaranado.

Relembro que quando encarnados, esquecemos tudo, ou quase tudo, do que foi vivido e acordado.

Isto gera um grande problema. O não cumprimento dos acordos.

 

Poucos cumprem os acordos que têm comigo. Muito poucos. A razão não sei. Na verdade nunca me dei ao trabalho de tentar perceber. Simplesmente sinto, de uma forma brutalmente intensa, quando os acordos são quebrados.

Ainda a uns dias isso se sucedeu, e foi a razão de escrever isto. Tentar colocar em papel o que senti e partilhar esta experiência que acredito que poder ser positiva para todos.

 

A pessoa não me devia nada. Nada mesmo. Alguém com quem falei meia dúzia de vezes. Tínhamos um entendimento verbal a cerca de um ano e fui re-confirmar se ainda estaria em pé. É a brutalidade que veio do outro lado foi imensa, e atenção que a pessoa reafirmou o entendimento que tínhamos, mas a energia foi de tal forma bruta, agressiva e superior que as palavras diziam uma coisa e a energia mostrava outra.

A energia que senti foi que me tiraram o tapete e espetaram facas nas costas, assim, sem qualquer aviso ou razão. E eu dei por mim a pensar: “que raio, Joana? Porque estas a ter esta resposta tão física e emocional?” – não tive qualquer resposta. Lá me vim embora e tentei encaixar e processar tudo aquilo que se passou.

Ao início pensei que estaria mais frágil ou emocional. Mas não. Não fazia sentido a minha intuição não me iria falhar assim, se sinto é real. Depois tudo se tornou claro – a pessoa quebrou, brutalmente diga-se, o entendimento entre almas que tinha comigo.

 

Mas como uma pessoa que falei meia dúzia de vezes em décadas poderia ter um contrato com esta intensidade comigo? Parece estranho, mas tinha.

 

Depois de ir confirmar, tive a certeza. Havia contracto e a pessoa quebrou, e foi quebrado mais cedo do que devia, porque eu fui impelida a lá ir fuçar, enfim. Intuição de sensitiva.

Escolheu, não honrar o que estava acertado entre almas. Ainda hoje me dói esse incumprimento. Pois sou eu que tenho consciência da quebra. Fui eu que a senti e fui eu que a entendi.

 

Antes de dormir pedi que me ajudassem a entender melhor o que se passou, e claro que tive a certeza de tudo. A pessoa em questão, apesar de ainda afirmar que me vai “ajudar” ou que sou a “primeira da lista”, nutre um ódio profundo por mim. O que foi mostrado era algo visceral – ao ponto de me tentar amaldiçoar. Tentar. Que fique claro o tentar.



Mas isto terá sido algo criado nesta vida (dada a minha escolha profissional, a minha vida pessoal e familiar)? Algo que vivemos numa vida passada e eu lhe fiz mal? Continua a responder a energias passadas em vez de cumprir o que ficou acordado?

Enfim, as possibilidades são muitas. Eu somente sei que um acordo foi quebrado. Este não foi o primeiro e certamente não será o último.

 

Entre quem estes acordos são feitos?

  • Entre Almas que experienciaram algo;
  • Nesta encarnação podem ser família, amigos ou simples conhecidos;
  • Desconhecidos;

 

Que tipos de acordos existem:

  • Ajuda e cooperação;
  • Amor;
  • Amizade;
  • Mentoria;

 

Mas o que leva a estas quebras?

  • Falta de consciência pessoal, energética e espiritual;
  • Falta de vontade;
  • Maldade;

 

O que acontece quando um acordo não é cumprido?

Fica um vazio. Fica a dor. Fica a falta. Fica uma inércia forçada.

 

Não acredito que isto prejudique o nosso caminho, simplesmente o torna mais árduo e difícil. E certamente que irá gerar karma, aqui sim, a falha gerará karma. A maldade gerará karma. Enfim. Libre arbítrio.

E vocês, já sentiram isto? Já sentiram acordos serem quebrados e ficarem com duas mãos cheios de nada apesar de tudo parecer bem?

Joana Cristina Pinto

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Links

  •  
  • Em destaque no SAPO Blogs
    pub